Um Natal mais humano

A festa do Natal assinala um marco referencial na história da humanidade.

A Palavra, o Verbo, o próprio Deus se tornou carne, toma rosto humano no Menino da manjedoura, fazendo-se humano.

Vivemos em nosso tempo um “déficit de humanidade” que nos assusta. A celebração da encarnação de Deus, torna-se um grande apelo – fazer com que o Natal não seja apenas memória de um acontecimento, mas tornar possível sua encarnação no hoje da nossa história, iluminando a vivência profunda da nossa condição humana.

Segundo Pagola, “o mistério da encarnação é, não só a divinização do ser humano, mas igualmente a humanização de Deus”.

A celebração do Natal, nos reporta para esse grande mistério. Deus se humaniza no homem Jesus de Nazaré. Isto é um referencial para nós pois, para encontrar Deus, devemos fazer o que Ele fez: fazer-nos profundamente humanos.

Natal é data celebrativa que nos fala do essencial: “um Deus que se faz carne, o divino que se faz humano, o eterno que se estremece diante do que é terno, o infinito que abraça amorosamente a fragilidade humana... Viver esse mistério é viver em Deus, compreender até onde chega a loucura de amor de um Deus que se humaniza para que nos humanizemos também(Pagola).

Que neste Natal, saibamos transformar nossos ambientes, nossas vidas mais humana e mais divina.

            A todos, professores, funcionários, colaboradores, Irmãs, obrigada por tornar isso possível na vida de nossos alunos, seus familiares e de tantas pessoas que são envolvidas pela missão Notre Dame.  

            Um feliz e abençoado Natal com votos de que a fé e a esperança sejam luzes que iluminem o ano de 2018.